Warning: A non-numeric value encountered in /home4/redei075/public_html/redeimaculada.org.br/wp-content/themes/Divi/functions.php on line 5837
(61) 3562-8888 / whatsapp (61) 99866-9945 redeimaculada@redeimaculada.org.br

A História

Os pais de Santa Terezinha quando jovens pretendiam se dedicar inteiramente à Deus com um vida religiosa, mas os desígnios divinos fizeram com que não fossem aceitos.

Assim, Zélia Guerin, que se tornaria mãe de Terezinha, disse em sua orações: “Meu Jesus, já que não sou digna de ser vossa esposa como irmã, abraçarei o estado matrimonial para cumprir Vossa vontade. Peço-Vos, porém, de todo coração, conceder-me muitos filhos e que Vos sejam consagrados”.

Desse casal nasceram nove filhos, sendo que três deles vieram a falecer ainda jovens. Todos os demais eram meninas e se dedicaram a vida religiosa. Terezinha das Rosas se tornou órfã de mãe aos 4 anos de idade e isso influenciou muito sua vida.

Com a morte da esposa, o pai das meninas se mudou com todas para Lisieux, onde teve ajuda de um cunhado para zelar pela educação de todas. Dessa forma Terezinha cresceu em um ambiente de amor e fé. Como era a caçula sempre foi tratada de forma especial, tanto que seu pai a chamava de “Minha Rainhazinha”.

Todas as irmãs mais velhas foram aos poucos entrando na vida religiosa e fazendo com que Terezinha também alimentasse essa vontade. Com 15 anos ela finalmente recebeu autorização para entrar no Carmelo de Lisieux, onde viveu por oito anos.

A pequena carmelita não realizou nada de extraordinário, apenas cumpriu suas obrigações de forma exemplar e sempre fez tudo com amor, desde as pequenas coisas. Diversas vezes com muito entusiasmo ela escreveu que desejava ser cavaleiro das cruzadas, padre, apóstolo, evangelistas, mártir, entre outros.

Em sua autobiografia ela escreve: “Compreendi que só o amor fazia agir os membros da Igreja e que se o amor viesse a se extinguir, os apóstolos não anunciariam mais o Evangelho, os mártires recusariam derramar o seu sangue.

Compreendi que o amor encerra todas as vocações e que o amor é tudo, abraça todos os tempos e todos os lugares. Numa palavra, o amor é eterno. Encontrei minha vocação: o amor!”.

Suas palavras eram profundas e sua vida de oração, sacrifício, provação, penitência e imolação fez com que tudo tivesse ainda mais sentido. Ela conseguiu mostrar o papel do amor como chave da espiritualidade. Em seus últimos anos enfrentou uma terrível doença até que padeceu.

Santa Terezinha morreu consumida pelo amor declarando seu amor à Jesus. Seus restos mortais são muito visitados em Lisieux, na França. Ela morreu prometendo que iria fazer descer a terra uma chuva de rosas, que são consideradas graças celestes. Ela realizou e continua realizando a promessa com um número incalculável de milagres.

Fonte: http://novenadasrosas.com/